Modernidade e tecnologia contra as pedras

Sem dúvida, a urologia está entre as especialidades médicas que nos últimos anos mais evoluíram com avanços tecnológicos para o alívio das doenças que combate. Cirurgias endoscópicas (realizadas por orifícios naturais, sem a necessidade de incisões), cirurgias laparoscópicas (procedimentos de alta complexidade realizados com auxílio de pinças e câmeras em pequeninas incisões no abdome), cirurgias robóticas (braços e materiais cirúrgicos automatizados comandados pelo cirurgião), e as fontes de laser, fazem parte desse moderno arsenal médico. Dentre os beneficiados com esse progresso, estão as pessoas que sofrem com pedras no sistema urinário, aproximadamente 7% da população brasileira. Todos nós conhecemos alguém que já experimentou e relata o que é padecer com as fortes dores, recorrentes, causadas por cálculos na via excretora. Nos dias de hoje, parte dessa angústia tornou-se dispensável. As cirurgias tradicionais abertas para extração de pedra estão praticamente extintas. A enorme maioria dos casos são resolvidos de modo minimamente invasivo, endoscópico. Ainda assim, alguns cálculos localizam-se em regiões do rim de difícil acesso aos aparelhos. Para esses, o uso da litotripsia extracorpórea, dita “máquina de quebrar pedras”, é uma opção. O equipamento utiliza-se de ondas de ultrassom (e não laser, como muitos imaginam) para implodir o cálculo em pedaços menores, facilitando assim sua eliminação espontânea na urina. Apesar de tudo, algumas pedras de composição resistente não fragmentam. Nos últimos anos equipamentos flexíveis associados a fontes de laser, que adentram os rins em todos os seus compartimentos e pulverizam qualquer tipo de cálculo foram desenvolvidos e deram fim a essa delongada batalha, em prol da saúde e do bem-estar.

Presidente Prudente e região contam hoje com todas as possibilidades terapêuticas que podem ser oferecidas ao paciente calculoso. Para isso, em um esforço conjunto, a Santa Casa de Misericórdia e o grupo SUPPERA (Serviço de Urologistas de Presidente Prudente e Região Associados) investiram mais de um milhão de reais em melhorias estruturais e equipamentos. Além da aquisição de uma nova e mais moderna máquina de litotripsia; recentemente tornou-se um dos poucos hospitais do estado de São Paulo a possuírem uma fonte de laser e materiais flexíveis para o tratamento cirúrgico do cálculo renal.  
 
Dr. Felipe de Almeida e Paula
Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
Graduado pela Universidade Estadual Paulista – UNESP
Fellowship em cirurgia minimamente invasiva e robótica – Johns Hopkins. EUA.
Docente da Disciplina de Urologia da UNOESTE
Responsável pela Uro-Oncologia e pelo programa de laparoscopia urológica da Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente

Voltar